Nossa missão como igreja é cumprir atos 4:34

Em tempos de crise, qual deve ser o papel da Igreja?

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 11 de maio de 2020

FacebookTwitterWhatsApp

Durante o período da Igreja Primitiva, a Bíblia relata que as pessoas se ajudavam, compartilhavam seus bens, vendiam suas propriedades para que todos pudessem morar, comer e se vestir com dignidade, de maneira que ninguém passava por necessidade alguma:

Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.
Atos 4:34,35

Com o passar dos anos, as coisas foram ficando muito diferentes. A individualidade tomou conta dos corações e muitas vezes, a necessidade de uma pessoa tem passado despercebido aos olhos de muitos. Porém, em momentos de crise, precisamos recorrer à Palavra de Deus e retornar aos tempos da Igreja Primitiva, quando as ofertas recebidas eram utilizadas para ajudar pobres, viúvas e necessitados. Hoje, durante a crise gerada pela Pandemia do Coronavírus, a Igreja precisa ajudar àquelas pessoas que estão ficando desempregadas e já estão passando por dificuldades. Seguindo o modelo de Atos dos Apóstolos, o Ministério Engel já vinha ajudando seus membros, principalmente os intercessores. Desde o final de 2019 a Igreja vinha promovendo momentos de socorro para muitas famílias, através de compras nos supermercados e agora, precisou ampliar a assistência. “Fizemos um planejamento para ajudar todas as pessoas que estão desempregadas e fazem parte do nosso Ministério. Desde o primeiro dia de quarentena, cada um deles recebeu uma cesta básica com produtos alimentícios e de higiene pessoal. Agora, vamos distribuir uma ajuda de custo para ajudar nas necessidades básicas. Não queremos que nenhum dos nossos membros passe por necessidades extremas”, disse o Apóstolo Joel Engel, pastor presidente do Ministério que abrange Santa Maria e algumas cidades vizinhas como Faxinal do Soturno, Arroio do Tigre, Agudo e Lagoão.

Agora, com a aproximação do inverno, eles estão se programando para repetirem a campanha social que já realizam todos os anos. A compra e a distribuição de cobertores irão beneficiar também as famílias carentes da cidade, que não fazem parte do Ministério.

De acordo com o pastor, o Ministério Engel tem o costume de beneficiar pastores e membros ligados à Igreja:

“Em nosso Ministério temos o dízimo, que corresponde aos 10% do que se ganha mensalmente; a Tsedaká, que é uma oferta igual ao dízimo, destinada para os pobres; as ofertas aleatórias e voluntárias, nas quais as pessoas contribuem de acordo com o que Deus ministra em seus corações, além das primícias. Desses valores, além das despesas da Igreja, retiramos parte do dízimo para abençoar aqueles que trabalham na obra de Deus. Separamos 10% de tudo o que entra para socorrer pessoas necessitadas, inclusive pastores que estão tendo dificuldades durante esse período de templos fechados. É um verdadeiro ‘SOS’, que visa socorrer os membros da Igreja”, explicou Engel, ressaltando a importância dos membros se manterem fieis em suas Igrejas: “Se um membro é fiel todos os meses com os seus dízimos e ofertas, quando vem uma crise, ele deve ser socorrido pela Igreja. É o que estamos fazendo, com os nossos membros e agora socorrendo alguns pastores que fazem parte da nossa cobertura e sempre foram dizimistas fieis”, finalizou.

SOS é uma sigla que remete a um sinal de socorro ou alerta. Apesar de não ter um significado preciso ou definido, normalmente, o código em inglês é associado como sendo uma sigla de expressões como “Save Our Ship” (salvem nosso navio), ou mesmo “Save Our Souls” (salvem nossas almas).

 

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS