Foi Jesus quem apareceu naquele pé de goiaba; ninguém mais

Quem apareceu subiu aquele pé de goiaba para resgatar a menina Damares não foi qualquer outro deus, muito menos alguém do movimento feminista.

FONTE: GUIAME, JOEL ENGEL

ATUALIZADO: 17 de dezembro de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

Damares Alves é a futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no governo Bolsonaro. (Foto: Poder360l)

Aos seis anos de idade uma garota é abusada sexualmente por um conhecido da família. Os abusos seguiram acontecendo durante dois anos, gerando traumas imensuráveis no psicológico dessa criança e, aos 10 anos de idade, ela sobe em um pé de goiaba com veneno nas mãos para se matar. Mas algo a livrou da morte: uma visão que ela teve de Jesus.

Se uma mulher, já adulta, te contasse esta história, como sendo o próprio testemunho dela, qual seria a sua reação? Tenho certeza de que se você for uma pessoa sensata, sentiria algo semelhante à comoção, aflição pelo abuso, motivação pelo livramento, mas não sentiria desprezo, não subestimaria essa experiência. Pois é exatamente este tipo de reação repulsiva que boa parte da mídia e dos movimentos de esquerda estão tendo com relação ao testemunho da pastora e futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Feministas e outros militantes de esquerda estão menosprezando o relato chocante de abuso sexual que advogada sofreu na infância, simplesmente para ridicularizar sua fé e invalidar sua luta contra o aborto. Já conseguiu captar o tamanho da insensatez?

Agora, este cenário tenebroso de intolerância e insensibilidade por parte dos movimentos de esquerda me faz imaginar: e se, em vez de ter visto Jesus naquele pé de goiaba, Damares tivesse visto Iemanjá, Xangô, Iansã ou algum outro orixá de uma religião afro-brasileira? Ou então se ela tivesse visto Buda, Krishna, Maomé ou alguma deusa idolatrada pelas feministas? E se além disso, ela colocasse a agenda esquerdista acima de sua fé? Será que ela estaria sendo tão ridicularizada como está sendo agora?

Quantas vezes na história do Brasil pudemos ver presidentes da República e outros políticos visitando terreiros de macumba, centros de feitiçaria, pedindo as bênçãos de médiuns e outros “gurus espirituais”? Jamais vi qualquer reação de protesto dos movimentos de esquerda contra isso. Jamais vi os defensores do “Estado Laico” se manifestarem contra isso.

Analisando este contexto, me vem à mente a passagem de 1 Samuel 8.7, na qual Deus diz ao profeta: “Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles”. Neste verso o Senhor diz a Samuel que o povo não está rejeitando a pessoa do profeta, mas sim ao próprio Deus. Da mesma forma, agora eu digo: “Este povo não está rejeitando a Damares, mas sim ao Deus de Damares”.

Situações como esta também já estavam descritas na passagem de Ezequiel 2.4-7:

“E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus. E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber, contudo, que esteve no meio deles um profeta. E tu, ó filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que estejam contigo sarças e espinhos, e tu habites entre escorpiões, não temas as suas palavras, nem te assustes com os seus semblantes, porque são casa rebelde. Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes”.

Fato é que o testemunho de Damares é real, é forte e traz Jesus com ele. Quem apareceu para salvar a nossa futura ministra foi Jesus, porque só Ele tem poder para isso — o que enfurece a esquerda. Não foi nenhuma entidade espiritual, muito menos uma militante feminista. Onde estava o movimento feminista durante os dois anos que Damares sofreu abusos sexuais e depois, quando tentou tirar a própria vida? Onde está o movimento feminista, enquanto garotas de quatro a 10 anos de idade são estupradas por pedófilos? Onde estão as feministas enquanto meninas são vendidas pelos próprios pais para a prostituição infantil nas praias do Nordeste?

Foi Jesus quem apareceu naquele pé de goiaba, porque só ele tem poder para salvar o ser humano. Não há Iemanjá, nem qualquer outro orixá; não há ideologia ou deusa feminista que seja capaz de restaurar uma vida traumatizada pelo abuso. Só Deus, o Autor da Vida tem poder para isso.

Jesus apareceu sim naquele pé de goiaba, tirou o veneno das mãos de Damares e o trocou por um propósito, que ela agarrou com todas as forças e hoje, décadas depois, ainda segura firme em seus braços de guerreira: a valorização da vida, que foi dada por Ele; um testemunho de restauração, que só Ele, com seu poder sobrenatural pode dar a uma vítima de um atrocidade como o estupro.

Damares não assume uma nova missão no governo Bolsonaro em 2019. Ela apenas continuará fazendo o que sempre fez nas últimas décadas. Lutar em favor da vida e proclamar o nome Daquele que a livrou da morte: Jesus.

Por Joel Engel, pastor, líder do Ministério Engel, em Santa Maria (RS) e fundador do Projeto Daniel, que ajuda crianças órfãs em países da África.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS