MME e Projeto Daniel se unem para resgatar milhares de crianças na África

Os dois projetos missionários se uniram para atuar em prol das crianças carentes no Malawi.

FONTE: GUIAME, ANDRÉA PÓVOAS

ATUALIZADO: 3 de outubro de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

As guerras civis, a fome, o vírus HIV e outras epidemias dizimaram famílias inteiras na África. Assim, gerações de crianças tem crescido sozinhas, à espera de alguém que se compadeça delas e estenda uma mão.

De acordo com os últimos dados da Organização das Nações Unidas (ONU), até o final de 2010, foram registrados mais de 60 milhões de órfãos no continente. Desamparadas, essas crianças crescem à mercê da violência sexual, da exploração do trabalho escravo, quando não são capturadas e mortas em rituais de magia negra, ou se tornam vítimas do tráfico de órgãos.

Uma mão finalmente se estendeu

Deus não esqueceu da África, nem dos seus pequeninos. Diante desse quadro tão triste e desanimador, o pastor Elias Marcelo Caetano enxergou o drama daqueles órfãos e através da Missão Mãos Estendidas (MME), que tem ajudado amenizar a miséria desta região. O projeto teve início em Moçambique, avançando depois para o Zimbabwe, Malawi e Zâmbia.

O objetivo da missão tem sido evangelizar e implantar igrejas, principalmente nas aldeias, dando suporte a pastores nativos para adotarem as crianças da sua região.

“Fruto desses esforços, hoje temos 300 igrejas, todas elas pastoreadas por pastores nativos. Como nosso foco estava nas crianças, construímos dois centros infantis, totalizando mais de 550 crianças sendo atendidas diariamente em Moçambique”, relata o pastor Elias.

Ao perceber a atuação da MME, uma pequena igreja da aldeia de Ratune, na província de Chikwawa, em Malawi, pediu socorro ao pastor Elias. Essa aldeia sofreu uma tragédia que dizimou centenas de homens e mulheres, deixando dezenas de crianças órfãs. O pastor daquela região se levantou, tomou a causa e adotou 30 crianças, mesmo sem ter condição alguma.

“Quando fui procurado para atender àquelas crianças órfãs, comecei a orar, pedindo ao Senhor, uma solução. Disso, surgiu o contato com o pastor Marcos Corrêa, diretor do Guiame, e temos portanto, abençoado aquelas crianças, mas ainda de uma forma muito simples. Então, Deus levanta o Ministério Engel e o Projeto Daniel, para serem uma resposta para aquela província”, testemunhou o pastor Elias.

A segunda mão a se estender

É claro que apenas a MME não teria como alcançar um continente tão gigantesco como a África, e com tantos problemas. Assim, veio o reforço do Projeto Daniel, abraçando o Malawi, para, unidos, trazerem uma esperança àquelas crianças.

Criado em 2016, o Projeto Daniel foi fruto de uma uma visão dada por Deus ao apóstolo Joel Engel, durante a sua primeira viagem missionária à África, que pretendia atender aos pastores de 28 países africanos, alunos da Escola Profética.

“Deus falou comigo: ‘Não esqueça dos pequeninos’. Fiquei bastante intrigado com aquela visão e fui buscar ao Senhor, para saber o que Ele queria que eu fizesse. Em outro flash, me vi passando a mão na cabeça de uma criança. Era a resposta! A mudança da África, precisava começar através de uma nova geração”, disse Engel, relembrando o início de tudo.

Assim, nasceu o Projeto Daniel, baseado na história do personagem bíblico do Antigo Testamento, que foi preso como escravo e levado cativo para a Babilônia. Mesmo vivendo em um cativeiro, era tratado como um príncipe pelas autoridades locais, recebendo boa alimentação e tudo o que precisava. Respaldado pelo Deus de Israel, ele se tornou um príncipe naquele reino e pode abençoar toda a sua nação.

Então, um reino que adote essa visão, terá em uma mesma área uma igreja, uma creche, assistência médica, educação e boa alimentação. O ministério local fornece os recursos humanos para ensinarem às crianças, além da estrutura de sua igreja. O Projeto Daniel manda as ofertas do Brasil, através de pessoas que se disponibilizem em adotar pelo menos uma criança, para manter essa estrutura.

A fusão dos projetos em prol do Malawi

Para a pastora Gabriele Engel, que coordena o Projeto Daniel no Malawi, conhecer a realidade dura daquelas crianças fez com que o seu coração se abrisse completamente para a parceria.

“Ficamos impressionados com o trabalho desenvolvido pelo pastor Elias, com muito esforço e quase sem recursos. Como o nosso intuito é que a ajuda do Brasil chegue de fato até as crianças, precisávamos de um trabalho correto, idôneo, honesto e muito bem supervisionado, como o Mãos Estendidas. Seremos pioneiros no Malawi, pois aquela igreja com 30 crianças nunca recebeu nenhum tipo de ajuda humanitária”, disse a pastora, já sonhando com a construção do Centro Infantil na aldeia.

Otimista e cheio de fé, o apóstolo Joel Engel disse que a parceria veio em um bom momento para o Projeto Daniel: “Estávamos realmente buscando parceiros dedicados, cheios de amor e que estivessem dispostos a estarem no campo missionário. Levantaremos os patrocinadores para fazermos funcionar o ministério deles lá. Estamos muito felizes com isso e vai dar certo”.

O pastor Elias está animado e muito grato a Deus por essa parceria: “Eu quero expressar a minha gratidão ao apóstolo Joel e ao pastor Marcos Corrêa, ao Projeto Daniel e ao Ministério Engel, que têm abraçado essa causa. Quero glorificar a Deus por aquilo que o Projeto Daniel já tem feito na África e agora, podendo também, em parceria com a Missão Mãos Estendidas, avançar para a nação do Malawi”, destacou.

“Vocês são resposta do Senhor para esta necessidade e, juntos, vamos manifestar o reino de Deus, de forma prática, para que Cristo seja conhecido, para que aquelas crianças sejam transformadas e abençoadas com alimento físico e espiritual”, disse ele, lançando um convite: “Eu quero desafiar vocês, Joel, Gabriele e Marcos, para que venham conhecer o campo do Malawi , onde temos essas crianças que precisam de um suporte. Vamos juntar forças para que o Evangelho de Jesus se manifeste na África!”

Desafio aceito! Gabriele disse que pretende montar uma caravana anualmente para a África, e acompanhar de perto a trajetória das crianças do Malawi: “Pretendemos ir lá uma vez por ano, para visitar e fazer o registro de cada criança, para sempre estarmos mandando fotos e vídeos para aqueles que as adotaram. Nosso desejo é ajudar e dar uma vida melhor para todas elas”.

Como ser um missionário?

Para ser um missionário na África, a única coisa que precisa estar lá é o seu coração.  Com apenas 30 dólares por mês, ou cerca de R$ 120,00, é possível adotar uma criança. Um valor pequeno, mas que vai ajudar em tudo: alimentação, material escolar, roupas, material de higiene pessoal e outros. Além disso, os fundos que forem arrecadados ainda poderão ajudar na construção do centro infantil, para abrigar esses pequenos órfãos.

“O nosso pouco é muito e o nosso muito, ainda vai ser pouco, mas se cada um fizer a sua parte, vamos poder mudar o mundo de cada uma delas. A gente crê que inúmeras pessoas vão aderir ao Projeto Daniel no Malawi e vamos ter muitas alegrias ali. Unidos como Igreja, como povo de Deus, independente de denominação, poderemos levar uma esperança para essas crianças e ganhar mais almas para Jesus”, finalizou Gabriele.

Quem quiser contribuir, basta entrar em contato com o Ministério Engel através dos telefones:

(55) 3217-4744
(55) 9974-8874

Ou fazer seu depósito na seguinte conta:

Ministério Engel/ Cnpj: 94.445.319/0001-74
Caixa Econômica Federal
Agência: 1151
Conta Corrente: 06610
Operação: 003

Além da África, o Projeto Daniel também tem abraçado crianças carentes no Brasil, com várias campanhas durante o ano em Santa Maria, arrecadando alimento, e suprindo várias necessidades, através da ajuda daqueles que se sensibilizam.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS