O sábado (shabat) da Lembrança (Zahor)

Este Shabat, que começa no pôr do sol do dia 15 e vai até o pôr do sol do dia 16 de março, será o último sábado que antecede Purim.

FONTE: MINISTÉRIO ENGEL, COM INFORMAÇÕES CHABAD

ATUALIZADO: 15 de março de 2019

FacebookTwitterWhatsApp

“Lembra-te do que te fez Amaleque no caminho, quando saías do Egito; Como te saiu ao encontro no caminho, e feriu na tua retaguarda todos os fracos que iam atrás de ti, estando tu cansado e afadigado; e não temeu a Deus. Será, pois, que, quando o Senhor teu Deus te tiver dado repouso de todos os teus inimigos em redor, na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança, para possuí-la, então apagarás a memória de Amaleque de debaixo do céu; não te esqueças”. (Deuteronômio 25:17-19)

Este Shabat, que começa no pôr do sol do dia 15 e vai até o pôr do sol do dia 16 de março, será o último sábado que antecede Purim. A Festa judaica celebra a frustração do plano de destruição do amalequita Hamã, que queria exterminar o povo judeu da face da terra através de uma sentença de morte em massa. A sentença foi mudada e caiu contra Hamã, que acabou morrendo na própria forca que havia preparado para Mardoqueu.

Mas por que o sábado anterior à data de Purim é tão relevante? Pois a tradição judaica não apenas cita a celebração da festa, mas reza de uma preparação anterior, a começar justamente no Shabat. A parashá (parte do texto da Torá) desta semana, que será lida por toda a comunidade judaica, é complementada com a leitura de “Zahor” Lembrança, descrita em Deuteronômio 25:17-19. Aqui a ordem divina ao povo de Israel é de que não se esqueça de Amaleque e nem de seus descendentes, pois todos deveriam ser eliminados da face da terra, por conta de suas maldades.

Haftará sobre a lembrança (Zahor)

Haftará (separação” ou “tomar licença”) é uma seleção dos livros dos Profetas bíblicos, da Torá hebraica, lidos em público durante as reuniões na sinagoga. A leitura da haftará segue a leitura da Torá em cada sábado, nas festas judaicas e durante períodos de jejuns e consagrações.

A Haftará desta semana está descrita em 1 Samuel 15: 2-34. Ela é especial, pois apresenta a ordem de Deus para que o povo de Amaleque fosse totalmente destruído, pela maldade deles e pelo ataque não provocado contra os israelitas.

O profeta Samuel transmite ao Rei Saul a ordem de Deus. A batalha contra os amalequitas não poderia deixar nenhum sobrevivente, humanos ou animais. O Rei Saul organiza seus soldados, ataca Amaleque e mata quase toda a população. O Rei Agag é poupado, além das melhores cabeças de gado e de carneiros. A fúria do Eterno é ascendida e Deus Se revela ao Profeta Samuel: “Eu me arrependo por ter feito Saul rei”, disse Deus, “pois ele desistiu de seguir-Me e ele não cumpriu Minhas palavras”.

Samuel vai até Saul e o confronta, ao passo que o rei, mentiroso e orgulhoso inventa uma desculpa, se defendendo ao dizer que o gado poupado seria usado como oferta para Deus.

O profeta responde: “Terá Deus maior prazer nas oferendas queimadas e oferendas de paz do que na obediência à Sua voz? Obediência é melhor que uma oferenda de paz; escutar, do que a gordura dos carneiros… Já que tu rejeitaste a palavra de Deus, Ele te rejeitou como rei”.

Saul admite seu erro e convida o profeta para que se junte a ele em seu retorno para casa. Samuel recusa sua oferta. “O Senhor rasgou o reinado de Israel de ti, hoje, e o deu ao seu companheiro que é melhor que ti”.

Samuel, o profeta e sacerdote, mata o rei amalequita e cumpre a ordem do Senhor.

Fonte de pesquisa: https://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/3933711/jewish/Shabat-Zahor-O-Shabat-da-Lembrana.htm

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS