Agenda de Bolsonaro para Educação é influenciada por evangélicos

Eleitorado evangélico tem interesse especial pela pasta, pois deseja que o presidente eleito coloque fim as ideologias anticristãs.

FONTE: MINISTERIO ENGEL, COM INFORMAÇÕES EXTRA

ATUALIZADO: 6 de novembro de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

(Foto: Agência Brasil)

Eleito presidente com o apoio maciço dos evangélicos, Jair Bolsonaro tem pela frente um grande desafio, que envolve por fim a doutrinação ideológica anticristã nas instituições de ensino de todo o país, uma pauta de interesse do segmento evangélico. Os líderes evangélicos também veem como extremamente importante a nomeação do futuro ministro da Educação.

O projeto de lei da “ Escola Sem Partido”, que está em tramitação na Câmara, é um dos mais relevantes para o tema, pois determina a afixação de cartazes em salas de aula e delimita a atuação dos professores dentro das disciplinas curriculares, coibindo a “doutrinação ideológica” e o partidarismo político dentro das instituições de ensino.

Este projeto já está entre as principais metas do novo governo e de sua base aliada no Congresso. A iniciativa tem como meta coibir o “abuso da liberdade de ensinar” orientando o professor para se manter aos temas de interesse curricular, sem “promover seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas”.

Um dos líderes que têm defendido junto ao presidente eleito à prioridade de “varrer da educação brasileira a ideologia esquerdista”, o pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, acredita que o novo ministro da Educação precisa ser comprometido com o fim destas ideologias.

Para o apóstolo Joel Engel, além do Ministério da Educação, o presidente eleito precisa estar comprometido em combater o avanço da agenda esquerdista nas escolas públicas, principalmente em relação à Ideologia de Gênero.

A tentativa de implantar agendas que beneficiam homossexuais, lésbicas e travestis já foi duramente criticada pelo apóstolo. Durante as eleições ele lembrou a ligação do candidato do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, com o famigerado “Kit Gay”.

Bolsonaro tem visitado as igrejas para agradecer ao apoio e as orações recebidas, assim como reassumir seu compromisso com a mudança do país. Antes mesmo de assumir a Presidência da República, Jair Bolsonaro tem sinalizado que irá cumprir suas promessas de campanha, o que indica uma mudança no Ministério da Educação.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS