Rosh Hashaná – Feliz Ano Novo!

O Aniversário da Criação

FONTE: MINISTÉRIO ENGEL

ATUALIZADO: 9 de setembro de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

Rosh Hashaná é o aniversário do universo, o dia em que Deus criou Adão e Eva de acordo com a tradição judaica, é uma celebração de grande importância. O início da festa se dará ao pôr do sol na véspera de 1º de Tishrei e termina após o anoitecer em 2 de Tishrei, que no calendário gregoriano é celebrado a partir do início da noite de domingo, 9 de setembro, até o início da noite de terça-feira, 11 de setembro).

A Bíblia institui que Rosh Hashaná, o início do ano bíblico, seja celebrado como o aniversário da Criação. Mas não como se fosse o primeiro dia onde Deus começou a criar todas as coisas e sim o dia da criação do homem, no sexto dia. O significado está no fato de que a nova criatura – o Homem – é essencialmente diferente das demais, pois foi o homem que reconheceu o Criador como pai! Adão reconheceu a paternidade de Deus e isso foi um marco, um memorial para a eternidade.

Adão e Eva foram criados no primeiro dia de Tishrei, que foi o sexto dia da Criação, e é a partir deste mês que o ciclo anual se inicia. É neste mês em especial que podemos dizer que, de acordo com nossas ações, será determinante para todos os outros meses e ciclos proféticos. Por isso, Rosh Hashaná é celebrado nesta época.

O mês de Tishrei é o sétimo no calendário judaico. Isso pode parecer estranho, pois Rosh Hashaná, o Novo Ano, é no primeiro e segundo dia de Tishrei. A razão é que a Bíblia fez o mês de Nissan o primeiro do ano, para enfatizar a importância histórica da libertação do Egito, através do cordeiro, que aconteceu no décimo quinto dia daquele mês, e que assinalou o nascimento da nação de Israel.

O primeiro Rosh Hashaná foi numa sexta-feira, o sexto dia da Criação. Neste dia, Deus criou os animais dos campos e das selvas, e todos os animais rastejantes e insetos, e finalmente – o homem. Assim, quando o homem foi criado, encontrou tudo pronto para ele, o pai sempre tem algo preparado para os seus filhos.

Entregando as minhas primícias

Em Rosh Hashaná temos um dos dias mais propícios para apresentar a Deus as nossas primícias. Deus entregou a terra que Ele criou ao homem e agora em reconhecimento e honra neste primeiro dia do ano novo bíblico devemos entregar a Deus as nossas primícias.

“No dia primeiro do sétimo mês convoquem uma santa assembléia e não façam trabalho algum. Nesse dia vocês tocarão as trombetas. Como aroma agradável ao Senhor, ofereçam um holocausto de um novilho, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos sem defeito”.
Números 29:1,2.

É importante buscar a Deus neste período, buscar perdão, aumentar os méritos diante de Deus com a entrega das primícias e das primícias dobradas nas mãos do sacerdote, como é dito no livro de Ezequiel 44:30, pois além de termos o Rosh Hashaná temos também a celebração de Rosh Chodesh:

“O melhor de todos os primeiros frutos e de todas as contribuições que vocês fizerem pertencerá aos sacerdotes. Vocês darão a eles a primeira porção de sua refeição de cereal moído, para que haja bênçãos sobre as suas casas”.
(Ezequiel 44:30).

A entrega das primícias e das ofertas a Deus, neste tempo profético, são vozes que falam a nosso favor diante de Deus e no Seu tribunal. Ainda que um decreto amargo possa ter sido liberado contra a sua vida, através de atitudes corretas os decretos podem ser revogados neste dia, e como a promessa de Deus diz: “para que haja bênçãos sobre as suas casas”.

Apresentar minhas primícias no primeiro dia do ano é mais do que uma honra é um ato de obediência e reconhecimento de que tenho sido abençoado por Deus e estou pronto para viver a multiplicação de Suas bênçãos sobre mim. Eu o reconheço como pai e ele me toma por filho.

”Leshana Tovah Tekatev Vitechatem”
“Que você seja inscrito e selado para um ano bom”

É costume na primeira noite de Rosh Hashaná, desejar aos outros “Leshana Tovah Tekatev Vitechatem” – “Que você seja inscrito e selado para um ano bom”.

O Shofar é tocado cem vezes, em cumprimento do mandamento fundamental de Rosh Hashaná. O shofar serve para:

1) Anunciar a coroação de Deus como Rei do Universo;
2) Um chamado ao arrependimento;
3) Traz a lembrança do sacrifício de Isaque (A oferta do cordeiro).

Início dos Dez Dias de Arrependimento

O período de dez dias começando em Rosh Hashaná e terminando em Yom Kipur é conhecido como “Os Dez Dias de Arrependimento”; período defendido pelos sábios judeus como o tempo profetizado por Isaias (Isaías 55:6-9).

O Julgamento nas Cortes Celestiais

Em Rosh Hashaná, o homem enfrenta não apenas o julgamento Divino como também o seu próprio. O veredito com relação ao futuro deve ser o de assumir o cumprimento de seus deveres, de realizar – nele mesmo e no seu ambiente – um chamado para a submissão absoluta diante de Deus proferido pelo primeiro homem Adão, no dia de sua Criação, no primeiro Rosh Hashaná.

A Tribo de Dan

Há doze meses no ano, e há doze Tribos em Israel. Cada mês do ano judaico tem sua Tribo representativa. O mês de Tishrei é o mês da Tribo de Dan. Isto tem um significado simbólico, pois quando Dan nasceu, sua mãe Lia disse: “Deus julgou-me e também atendeu à minha voz.” Dan e Din (Yom HaDin, Dia do Julgamento) são ambos derivados da mesma raiz, simbolizando que Tishrei é a época do Julgamento Divino e do perdão. O símbolo de Tishrei é a Balança. Este é o símbolo do Dia do Julgamento, quando Deus pesa as boas e as más ações do ser humano.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS