Rosh Chodesh de Sivan

Neste sábado, 23 de maio de 2020, ao entardecer, iniciamos os dois dias de celebrações de Rosh Chodesh (cabeça do mês) do mês bíblico de Sivan

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 21 de maio de 2020

FacebookTwitterWhatsApp

É o nono mês do calendário civil, e o terceiro mês do ano eclesiástico, no calendário hebraico. Este mês é simbolizado pela tribo de Zebulom, que é apresentada como “o homem de negócios“. Sobre eles, de acordo com os ensinos rabínicos, repousa a responsabilidade de sustentar o estudo da Torá e os ensinos dos seus irmãos da tribo de Issacar, os que conheciam os segredos dos tempos e estações.

A alma dos filhos de Zebulom, bem como a unção que repousava sobre eles, estava diretamente ligada à emanação Keter (coroa), expressando assim a realeza dos que investem na formação espiritual do seu próximo, homens e mulheres que patrocinam a manutenção e a ampliação dos estudos bíblicos.

Este é um dos segredos do mês de Sivan, quando os judeus se revezam em vigílias de estudos da Bíblia, aguardando assim o tão esperado dia de Pentecostes, quando a Torá foi entregue aos filhos de Israel no Sinai. Pois quando ela foi revelada, estava na dimensão de keter (coroa), como indicado pelo fato de que os Dez Mandamentos possuírem 620 letras, o que corresponde a keter, coroa e coroação.

Uma aliança de casamento

A tradição Judaica diz que “no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai” (Êxodo 19:1,2), refere-se a Rosh Chodesh de Sivan. E a descrição: “ali se acampou em frente ao monte“. O verbo escrito em hebraico para “acampado” é “vayichan“, uma forma singular, e não plural. Isso indica que a aceitação da Torá pelo povo judeu era como se tivesse uma única mente e um único coração. Isso foi necessário porque a Torá era como um contrato de casamento entre Deus e Israel e, como tal, não havia espaço para qualquer hesitação ou deslealdade entre as partes.

A entrega da Torá a Israel é chamada de “casamento”entre Deus e o povo judeu. No livro de Cânticos dos cânticos este relacionamento é descrito como o nível mais elevado da espera e da aliança do casamento entre um noivo e sua noiva (Cânticos 5:2).

Um só povo, uma só nação

E entraram na aliança para buscarem o Senhor Deus de seus pais, com todo o seu coração, e com toda a sua alma; E de que todo aquele que não buscasse ao Senhor Deus de Israel, morresse; assim o menor como o maior, tanto o homem como a mulher. E juraram ao Senhor, em alta voz, com júbilo e com trombetas e buzinas. E todo o Judá se alegrou deste juramento; porque de todo o seu coração juraram, e de toda a sua vontade o buscaram, e o acharam; e o Senhor lhes deu repouso ao redor.” (2 Crônicas 15:12-15)

A tradição judaica nos ensina que essa entrada em aliança com Deus pelo povo judeu, aproximadamente seiscentos anos após a aliança no Sinai, ocorreu em Rosh Chodeshde Sivan. O rei Asa de Judá, decidiu honrar a Deus e um avivamento veio sobre a nação de Juda, que durou por 25 anos (2 Crônicas 15: 9-12). Durante este período não houve guerras, pois Deus lhes deu descanso em suas propriedades.

Que neste Rosh Chodesh possamos oferecer as nossas ofertas diante de Deus, estabelecendo uma aliança com Ele, para que a coroa que Ele preparou para nós venha em nossa direção, para que possamos reinar com paz, tranquilidade e prosperidade em nosso território. Que as nossas ofertas sejam para manter e ampliar o acesso à palavra de Deus. Como Zebulom, desejamos manter os meios de propagação da sua palavra, para que os filhos de Issacar se levantem neste tempo, como profetas desta geração.

Que o Keter (coroa) de Pentecoste esteja sobre nós, nos dando sabedoria, conhecimento, inteligência e, acima de tudo, nos atraindo para a Presença e a vontade soberana do nosso Deus.

Que se renove hoje em nós, neste tempo, os prodígios de Pentecostes  (Atos 2:1-4). Declaramos que estamos diante da Rocha, não o Sinai, mas a rocha da nossa salvação, Jesus Cristo, a palavra viva, que nos foi revelada. Nele temos uma aliança, a nova, viva e vigente, pela qual Ele, o noivo, se entregou sem reservas pelo nosso resgate.

As ofertas de Rosh Chodesh (Números 10:9,10)

“E as primícias de todos os primeiros frutos de tudo, e toda a oblação de tudo, de todas as vossas oblações, serão dos sacerdotes; também as primeiras das vossas massas dareis ao sacerdote, para que faça repousar a bênção sobre a tua casa” (Ezequiel 44.30).

Por serem os primeiros dias de um novo mês, temos a oportunidade de oferecer ao Senhor as nossas primícias. O povo judeu, por costume, procura o sacerdote neste dia para fazer a entrega das primícias e ofertas. Mas se tratando das primícias, uma oferta de honra ao sacerdote, para que a bênção esteja em sua casa, o ofertante faz um pedido e o sacerdote recebe as primícias com a mão esquerda e abençoa com a mão direita.

Estamos alinhados com esse tempo profético! Assim, se você deseja enviar a sua oferta e receber uma bênção especial neste mês. Estaremos no Monte, consagrando as ofertas e apresentando a sua causa a Deus, em nome de Jesus!

Entre em contato pelo whatsapp bit.ly/Clique-Aqui-e-Falem-Conosco

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS