Rosh Chodesh de Av

Buscando o equilíbrio em meio a adversidade

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 9 de julho de 2021

FacebookTwitterWhatsApp

Iniciamos hoje o mês de Av, período de maior lamento para os judeus, mas podemos reverter os decretos amargos em nossa geração.

O início de um novo mês judaico, é chamado de “Rosh Chôdesh” ou “Cabeça do Mês”, é simbolicamente uma oportunidade que Deus nos dá para iniciarmos uma nova fase em nossa história. Nesta sexta-feira, 09 de julho de 2021, após as 18 horas, iniciamos o mês judaico de Av. O quinto mês no calendário judaico, que corresponde a parte de julho e parte de agosto no calendário gregoriano.

O propósito do Rosh Chodesh é que venhamos a oferecer o melhor da nossa vida ao Senhor, sendo o primeiro dia do mês um tempo de santificação, consagração, adoração e celebração. Os judeus têm como costume celebrar a entrada de um novo mês, pois sabem que o Senhor é quem controla os tempos.

Av é o mês de maior lamento para os judeus, pois foi nele que o Primeiro Templo e o Segundo Templo foram destruídos. Por isso, devido aos acontecimentos trágicos, o mês de Av é conhecido como o mês do “ponto baixo”, mas curiosamente também é conhecido como o mês do “ponto alto”, pois os judeus acreditam que o Messias se manifestará em Av.

Simeão

Assim como os demais meses do calendário judaico que representa cada uma das tribos de Israel, o mês de Av representa a tribo de Simeão, o segundo filho de Jacó e Lia, foi um dos que tomou parte, juntamente com Levi, do massacre dos homens de Siquém, depois da desonra sofrida por sua irmã, Diná (Gênesis 34).

A mãe de Simeão foi Lia, esposa que não era a preferida de Jacó, que concebeu outra vez e exclamou: “Porquanto o SENHOR ouviu que eu era desprezada, e deu-me também este. E chamou-o Simeão”. Assim Simeão que significa “Ele ouviu”.

A espada

A espada é um instrumento de defesa e ataque, muitas mãos a possuem, o problema é se ela está sendo usada para ataques cruéis, sob vingança, desforra, retaliação, represália, revide e como disse Jacó “você fez por tua própria conta sem o meu consentimento”. A espada não é para matar ou machucar as pessoas, ao contrário, a espada, é para proteger aquilo que é precioso.

Diminuição da alegria

No mês de Av, conforme a tradição judaica, o júbilo é limitado a ponto de evitar qualquer coisa que possa trazer alegria. Desta forma, muitas coisas que seriam realizadas em dias normais, são evitadas neste mês, pois trata-se de um período de muito lamento e tristeza por causa dos acontecimentos trágicos.

O Rosh Chodesh de Av marca o início de um período de muitas restrições, pois é um tempo de muita dor e de lembranças negativas para os judeus. Nem mesmo roupas são lavadas nestes dias, até o dia nove de Av, os judeus não comem carne, não decoram suas casas, não cortam seus cabelos, não compram roupas novas, entre outras coisas.

Foi em Av que o povo hebreu deu ouvidos as vozes negativas dos dez espias enviados para levantar informações sobre a Terra Prometida. Segundo a Palavra de Deus, por conta da murmuração do povo, aquela geração foi proibida de adentrar a prospera terra que pertenceu ao patriarca Abraão.

As primícias de Rosh Chodesh

“E nos princípios dos vossos meses oferecereis, em holocausto ao Senhor, dois novilhos e um carneiro, sete cordeiros de um ano, sem defeito;

E três décimas de flor de farinha misturada com azeite, em oferta de alimentos, para um novilho; e duas décimas de flor de farinha misturada com azeite, em oferta de alimentos, para um carneiro.

E uma décima de flor de farinha misturada com azeite em oferta de alimentos, para um cordeiro; holocausto é de cheiro suave, oferta queimada ao Senhor.

E as suas libações serão a metade de um him de vinho para um novilho, e a terça parte de um him para um carneiro, e a quarta parte de um him para um cordeiro; este é o holocausto da lua nova de cada mês, segundo os meses do ano.

Também um bode para expiação do pecado ao Senhor, além do holocausto contínuo, com a sua libação se oferecerá.”

(Números 28:11-15)

Deus instituiu os inícios dos meses para que os filhos de Israel oferecessem uma oferta de honra ao Senhor. Esta oferta é tanto de santificação quanto de primícias. Ela é entregue nas mãos do sacerdote, e ele ora liberando uma benção especial sobre o ofertante.

E, se as primícias são santas, também a massa (o restante) o é; se a raiz é santa, também os ramos o são.” (Romanos 11:16).

Ao ofertar estamos a santificar o tempo, o mês, consagrando-o ao Senhor.

Quanto ao valor pode ser oferecido:

1 – Oferta de Primícias: Equivalente ao valor de um dia do trabalho. Ou o valor igual ao dízimo (10% do valor da renda pessoal).

2 – Uma oferta de honra, de acordo com que a pessoa sentir no coração.

3 – Uma oferta de sacrifício, algo que exige um grande esforço para ser oferecido.

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra;

Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;

Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a Deus.”

(2 Coríntios 9:7-11)

Que neste dia venhamos a estar na presença do Senhor, intercedendo por Jerusalém, conforme orienta a Palavra de Deus, que diz: “Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam” (Salmos 122.6). Nossas ofertas e orações sejam em favor dos propósitos que Deus estabeleceu para o Seu povo.

 

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS