Purim, tempo de se alegrar no Senhor!

Hoje, 10 de março, é celebrada a Festa de Purim

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 10 de março de 2020

FacebookTwitterWhatsApp

Hoje, 10 de março, é celebrada a Festa de Purim, tempo em que Israel e o seu povo, juntamente com a igreja de Jesus Cristo são convidados a aumentarem os níveis de alegria, pois profeticamente, esta é a celebração da destruição de seus inimigos. Purim é a festa do livramento dos judeus e relembra a influência que Ester teve em evitar um genocídio.

Purim para os cristãos?

A providência de Deus é mostrada no livro de Ester, mesmo que o nome Dele não seja mencionado. Porém, está explícito como o Senhor instruiu os eventos a fim de realizar a Sua vontade de acordo com o Seu plano perfeito. Providência significa prover e sem o suprimento de Deus, não somos nada.

O Senhor não joga sorte ou dados para tomar suas decisões em relação ao universo. Portanto, quando Hamã tentou eliminar os judeus, vemos que seus planos estavam destinados a fracassar, porque Deus abençoou os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó (Gênesis 12: 2-3) e tudo o que vai contra os desejos de Deus não funciona. Vimos isso com Faraó, Balaão e Hitler.

Nenhum inimigo do povo judeu pode conseguir êxito contra os filhos de Israel por um simples motivo: Este é um povo que foi resgatado por Deus e ano após ano ele oferece um novo resgate das gerações.

Aqui passamos a entender a chegada de Purim, que é celebrada no mês Adar no calendário judaico. O que seria este resgate e o que ele significa para este tempo?

Um dos mandamentos mais conhecidos de Purim é o de enviarmos alimentos e presentes uns para os outros durante a festa. Para isso, amigos e vizinhos preparam sacolas com doces, cestas de alimentos de todos os tamanhos, decoradas com frutas variadas.

Uma das razões desse mandamento é refutar uma maldição plantada por Hamã (o mau da história de Purim) sobre o povo de Israel: “uma cidade em desarmonia e desunião” (Ester 3:8). Mardoqueu, guardião da rainha Ester e líder do povo judeu naquela época na Pérsia, estabeleceu a troca de alimentos e presentes entre os companheiros, para demonstrar união e amor.

Estudamos em várias ocasiões, que as ações de ofertar, de Tsedaká (oferta de justiça), fazem mais por quem dá do que por quem recebe. Uma “ida e volta”, um ato que forma um ciclo de bênçãos. De fato, a oferta dá ao doador um sentimento de transcendência e plenitude e também lhe dá uma chance extra de agradecer a oportunidade de ofertar que lhe foi concedida.

Quando damos uma oferta de resgate, é então estabelecido por e para o nosso bem, uma oportunidade de demostrarmos afeto e amor pelas pessoas que nós amamos. Não vamos perder a oportunidade de nos resgatar e resgatar aqueles que amamos! Ester e Mardoqueu não perderam a oportunidade, ofertaram e se entregaram para resgatar um povo inteiro, mas o resgate maior, Deus já havia providenciado.

Qual é a razão desse costume de se ofertar em resgate?

A razão estabelecida por Deus é para que todos os filhos de Israel possam participar das ofertas, sendo assim partícipes do grande projeto de resgate da nação e de suas gerações.

Quando se costumava entregar uma oferta de resgate?

Antes, durante e depois da Festa de Purim.

Todos os dias 10 de cada mês até o dia 14 é um período de oração e consagração pelos ofertantes, intensificamos as nossas orações para que Deus multiplique as bênçãos sobre os nossos parceiros e que sejam destruídos todo projeto maligno contra a vida física, material, emocional e espiritual dos nossos amigos.

Cada oferta de resgate é um ato profético que todo o judeu julga necessário com o objetivo de superar em cada geração os “dez mil talentos de prata” que Hamã ofereceu como feitiçaria para alcançar a legalidade e destruir o povo de Deus. Não deixe de escrever um novo decreto de vitória em sua história, em nome de Jesus!

A oração é uma marca da comunidade dos filhos de Israel. Nos dias da rainha Ester e Mardoqueu, até as crianças oraram e jejuaram e, de acordo com a tradição judaica, a intercessão dos pequeninos teve um grande peso diante de Deus. Da mesma forma, devemos nós neste tempo, envolver nossas crianças neste mover. Suas orações têm um valor todo especial diante do Senhor.

Deus anulou toda sentença de morte contra a tua vida e fez retroceder todos os teus inimigos. No momento em que você crer nas revelações do Senhor e se mover em fé, os seus inimigos terão que retroceder, porque é o “agir de Deus” que faz isso em seu benefício. Por isso, Ele nos convida a cantar, dançar, a regozijar e a exultar de júbilo em Sua presença, pois agindo Ele, não há quem o possa impedir (Isaías 43:13).

Feliz Festa de Purim.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS