Porção do dia: Gênesis 3:22 – 4:26

“E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?” (Gênesis 4:3-6)

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 15 de outubro de 2020

FacebookTwitterWhatsApp

Gênesis (Bereshit) (5 de 365)  |  16 de outubro de 2020

Qual a motivação de suas ofertas a Deus?

Caim, o primogênito de Adão e Eva passou por uma crise muito profunda. Sua oferta a Deus não foi bem-vinda. O problema não era que Deus não gostasse do que tinha sido oferecido, mas da motivação em seu coração quando o fez. Deus vê o que está no coração e o que está por trás das ações. Para Ele, não é tão importante o que você faz comparado com o porquê você está fazendo. Os versos com os quais estamos meditando dizem que Deus não olhou para Caim e sua oferenda. Primeiro, é sobre Caim, sobre a pessoa, e depois, sua oferta. Deus não estava satisfeito com Caim e é por isso que Ele não podia receber sua oferta. Qual era o problema do Caim? A motivação dele não era correta. Ele procurou seus próprios interesses e não os de Deus. Ele apresentou uma oferta por causa de si mesmo ou para se exibir, mas não porque ele tinha um coração reto diante de Deus. O Senhor não se impressiona com ações externas que carecem de “kavanah” – uma intenção correta.

O que você faz não é a coisa mais importante diante de Deus, mas porque você está fazendo.

Agora, Deus que não pode ser enganado, queria aproveitar a ocasião e ensinar a Caim uma lição de grande importância, que poderia ter salvado sua vida e a de seu irmão. De alguma forma, Ele expressou seu desgosto tanto de Caim e sua oferta. Mas Caim, em vez de procurar corrigir o seu coração e mudar sua atitude, fazendo teshuvá – optou por seguir sua inclinação maligna. Dando lugar a uma raiva que queimou dentro dele de tal forma que seu semblante caiu. O texto hebraico literalmente diz que seu rosto caiu.

Quando a raiva encheu a alma de Caim, ele não podia mostrar um rosto alegre ou feliz. Sua linguagem corporal falava a verdade do que ele tinha no interior. O Eterno pergunta-lhe por que ele está queimando de raiva e por que seu semblante caiu. Dessa forma, Ele lhe deu a chance de refletir e mudar sua atitude – para fazer teshuvá – mas, em vez de ouvir a correção de Deus, decidiu seguir o caminho do mal. Deus deu-lhe uma palavra muito precisa, a fim de impedi-lo de continuar no caminho da morte, para escolher a vida. Com essa palavra, Caim teria sido capaz de escolher outro caminho. Como? Fazendo uma escolha interna para mudar sua atitude. Deus disse que Caim tinha a possibilidade de subjugar o que queria assumir o controle de seu ser. Caim poderia ter subjugado sua raiva e evitado que seu semblante caísse. Caim tinha sido criado para ter controle neste mundo e em seu mundo interior onde uma batalha entre o bem e o mal estava acontecendo. O Senhor deu-lhe a chave para sair da jaula do pecado. Como ele podia ter feito isso? Escolhendo a coisa certa e dizendo não à raiva, inveja e ânsia de machucar seu irmão. Deus deu-lhe a autoridade para subjugar o pecado no exato momento em que o mal estava rastejando em sua alma. Mas Caim não mudou a sua atitude e as consequências foram desastrosas.

Podemos aprender duas coisas com isso: se o pecado quer tomar conta de nossa alma, temos Deus dado autoridade para dizer NÃO e escolher o que é bom. Não podemos culpar nada ou ninguém por nossos pecados porque somos responsáveis por dar espaço ao mal em nossas almas. Se escolhermos o que é bom, mesmo que nossos sentimentos estejam queimando dentro de nós, o Deus nos ajudará a subjugar nossa mente e superar o pecado e suas consequências desastrosas. Um grande poder é necessário para assumir o controle de nossas mentes, mais do que o poder necessário para tomar uma cidade, como está escrito em Provérbios:

“Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.”

(Provérbios 16:32)

      Esse poder está dentro do homem. Deus disse a Caim que ele poderia governar sobre o pecado. É por isso que só ele foi responsável por ter negligenciado o bem e seguido o mal e suas consequências. O mal começa dentro de nós e é dentro de nós que temos que vencer a batalha entre o bem e o mal.

A segunda coisa que podemos aprender com este texto é que Deus não está satisfeito com um semblante caído. Ele nos criou para ficarmos felizes, não deprimidos, caídos ou amargos. Podemos escolher não deixar nossos semblantes caírem em tempos de luta e adversidade em nossas vidas. Podemos escolher mudar e levantar nossos rostos.

Como podemos fazer isso quando tantos fardos pesados tomam conta de nossa alma em muitos momentos? A resposta está no Senhor.

A introdução do Salmo 121 diz que é uma canção de ascensões. É uma canção que ajuda você a subir a alturas espirituais. Louvar a Deus com canções é uma das maneiras que eu descobri que me ajuda a evitar que emoções negativas ou sentimentos tomem conta da minha alma em tempos de dificuldades. Por isso no monte os louvores são constantes. Se eu o louvo apesar das adversidades, Ele me ajuda a levantar meu rosto como está escrito no Salmo 43:5:

“Por que estás abatida, ó minha alma? E por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face e Deus meu.”

(Salmos 43:5)

 Que seu semblante seja sempre para cima, com o rosto alegre e com uma oferta que agrade a Deus. Shalom!!

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS