Festa dos Tabernáculos

A Festa de Tabernáculos neste ano de 2021 iniciará ao pôr do sol de segunda-feira, 20 de Setembro, e terá o seu término ao anoitecer de segunda-feira, 27 de Setembro.

FONTE: Ministério Engel

ATUALIZADO: 20 de setembro de 2021

FacebookTwitterWhatsApp

“Diga ainda aos israelitas: No décimo quinto dia deste sétimo mês começa a Festa das Cabanas do Senhor, que dura sete dias. No primeiro dia haverá reunião sagrada; não realizem trabalho algum. Durante sete dias apresentem ao Senhor ofertas preparadas no fogo, e no oitavo dia façam outra reunião sagrada, e também apresentem ao Senhor uma oferta preparada no fogo. É reunião solene; não realizem trabalho algum.
Estas são as festas fixas do Senhor, que vocês proclamarão como reuniões sagradas para trazerem ao Senhor ofertas preparadas no fogo, holocaustos e ofertas de cereal, sacrifícios e ofertas derramadas exigidas para cada dia.
Isso fora as do sábado do Senhor e fora as dádivas e votos de vocês, e todas as ofertas voluntárias que vocês derem ao Senhor. (Levítico 23:34-38).

A Festa de Tabernáculos neste ano de 2021 iniciará ao pôr do sol de segunda-feira, 20 de setembro, e terá o seu término ao anoitecer de segunda-feira, 27 de setembro.

Na Festa dos Tabernáculos, 14 cordeiros (Duas vezes 7) e 70 bois são. Ofertados. A Festa dos Tabernáculos é a festividade bíblica mais alegre de Israel. Quando o povo se divertia muito, pois estavam repletos de alegria e gratidão pelos cuidados de Deus.

Era a celebração de “Ação de Graça” para os israelitas no deserto, tinha como objetivo fazer o povo se lembrar do tempo em que morou em tendas, durante a peregrinação pelo deserto. Em Dt 8:2-5 está escrito que, apesar dos sofrimentos, o Senhor havia sustentado o Seu povo em todas as suas necessidades e que eles haviam aprendido muitas lições.

Dentre as três grandes festas comandadas por Deus, a Festa dos Tabernáculos é a de maior significado profético para nós cristãos, era consagrada ao louvor e ações de graça.

Durante a Festa dos Tabernáculos, o Templo ficava iluminado, com quatro grandes candelabros de ouro, simbolizando que todos os níveis haviam sidos alcançados, o povo levava muitas ofertas ao Senhor. Nas noites havia banquetes, danças, cânticos e muita alegria. Eles eram agradecidos a Deus!

“Hoshana Rabbah”

O toque das trombetas convocava o povo, que se postava nas ruas para assistir à marcha dos sacerdotes que iam ao tanque de Siloé, enchiam uma vasilha de prata de água e depois rumavam para o templo e a derramavam no altar. Era um cortejo glorioso de sacerdotes vestidos de branco, instrumentos musicais, corais.

Anunciando a salvação e a prosperidade

Os levitas se faziam acompanhar por músicos em instrumentos de corda, sopro e percussão durante a recitação dos Salmos 113 a 118, especialmente as palavras messiânicas do Salmo 118, versos 25 e 26: “Ó Senhor, salva, Te pedimos! Ó Senhor, nós te pedimos, envia-nos a prosperidade. Bendito aquele que vem em nome do Senhor”.
Esse ritual de derramamento de água simbolizava ações de graça pela chuva que possibilitou a colheita do ano. Orações por mais chuva eram feitas para possibilitar a colheita da próxima estação, resultando a prosperidade. Esse ritual simbolizava também a alegria espiritual e salvação.

Ofertas diárias

A cada dia, durante o período da Festa, os sacerdotes rodeavam o grande altar de sacrifícios, uma vez, agitando suas palmeiras em todas as direções. Os ramos eram seguros juntos na mão direita, e a cidra, na mão esquerda.
No sétimo dia, chamado “Hoshana Rabbah” que significa “A grande Salvação”, os sacerdotes rodeavam o altar sete vezes, recitando o Salmo 118.

Durante os sete dias de sucot, o grande altar de sacrifício recebia um número de sacrifício maior do que em qualquer outra festa: 70 novilhos, 14 carneiros, 98 cordeiros e 7 bodes (Números 29.12-34). Em relação aos 70 novilhos o Talmud ensina que “as setenta nações do mundo são representadas nas ofertas de expiação de Israel”.

Os novilhos

O mesmo tipo de sacrifício ordenado para outras festas. Mas, ao passo que dois novilhos eram suficientes em outras festas, neste caso são prescritos 13 novilhos (Nm 28:11, 19, 27). A cada dia, durante sete dias consecutivos, um novilho a menos era ofertado (v. 17, 20, 23, 26, 29, 32). Assim, sete novilhos eram oferecidos no sétimo dia, totalizando 70 novilhos para os sete dias . Setenta era o número redondo no qual os israelitas calculavam os povos da terra, e a interpretação dada a estes sacrifícios pelos próprios judeus é que foram feitos no sentido de interceder a Deus em favor de toda a raça humana.

O sacrifício único de Jesus Cristo haveria de abranger pessoas de todas as nações que se convertessem a Ele, o qual custou aos próprios discípulos entenderem (Gl 2.14-21; At 10.1-48) .

Carneiros e cordeiros

O número de carneiros e cordeiros não mudava. Todo o sistema de ritos repousava sobre o sacrifício diário; a despeito do número de sacrifícios acrescentados, a oferta diária nunca era deixada de lado. Da mesma maneira, o Cordeiro de Deus jamais pode ser substituído. Nenhuma função, nenhum rito e nenhuma regra pode tomar o lugar do Filho de Deus, o único por meio de quem há salvação do pecado .

O bode

O bode, para oferta de pecado. Qualquer que fosse a festividade, requeria-se uma oferta pelo pecado (Nm 28:15, 22, 30; 29:5; etc.). O povo sempre precisava de perdão. Era importante não se perder de vista esse fato .
A oferta para o tabernáculo atrai a presença de Deus

“E me farão um Tabernáculo, e habitarei no meio deles”. Êxodo 25.8.

Deus providenciou entre o Seu Povo tudo que foi necessário para a construção do tabernáculo (“Fala aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta alçada”, Êxodo 25.2). A construção do tabernáculo foi possibilitada pelas ofertas voluntárias do Seu povo. A obra de Deus avança somente pela benção de Deus sobre as obras de obediência do Seu povo. Se o povo de Deus não prega a Palavra de Deus não verá o fruto da salvação das almas perdidas sendo trazidas à Luz (Romanos 9.10-15); se o povo de Deus não morre à carne, não será abençoado com a transformação na imagem de Cristo; se o povo e Deus não contribuem à obra de Deus não terá mantimento na Sua casa (Malaquias 3.10) nem seria construído este lugar onde Deus desejava encontrar com o Seu povo.

O povo de Deus não pode esperar as bênçãos de Deus nas suas vidas, lares ou igreja se não está empenhado na plena obediência à vontade de Deus. O tabernáculo foi uma realidade para o povo de Deus, pois eles ofertaram a Deus voluntariamente em obediência e amor. E se assim fizermos também veremos a glória de Deus em nossos tabernáculos.

Recebendo os salários atrasados

Milagrosamente, os Egípcios, como se fosse todo o salário de 430 anos de escravidão, deram ao povo de Israel joias de ouro, joias de prata e roupas (Êxodo 12.35,36). Dessas riquezas, o povo deu voluntariamente parte para a construção do tabernáculo (Êxodo 35.4-9).

Assim cremos que toda a prosperidade acumulada no reino espiritual será liberada sobre sua vida nestes dias e você poderá contribuir para levantarmos o tabernáculo de Deus entre as nações, no último dia consagraremos uma oferta pelo Brasil.

Você pode enviar as suas contribuições para nosso ministério, passamos o dia em consagração, apresentando as ofertas diante do Trono da Graça do Eterno Deus de Israel.

Mais informações pelo whatsapp bit.ly/Clique-Aqui-e-Falem-Conosco

 

 

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS