Os quatro níveis do amor e o modelo perfeito do amor divino

Como o amor perfeito de Deus pela humanidade pode ser um modelo a ser seguido por todos aqueles que o buscam.

FONTE: MINISTÉRIO ENGEL

ATUALIZADO: 12 de junho de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

No idioma grego há 4 definições para a palavra “amor”, sendo que cada uma delas revela um nível deste sentimento. Essas definições podem ser usadas para expressar o tipo de amor que cultivamos, sendo que o amor que o cristão deve almejar, segundo a Palavra de Deus, é o modelo de amor divino.

Como diz a Bíblia: “Não existe maior amor do que este: de alguém dar a própria vida por causa dos seus amigos” (João 15.13). E é este o modelo de amor que devemos perseguir, de forma que sejamos capazes de refletir o amor de Deus.

A primeira definição grega para amor é “Eros”, que é uma forma de amor egoísta. Um amor que pensa em si próprio, já que o desejo é exatamente por suprir suas próprias necessidades. É o tipo de amor que algumas pessoas oferecem para Deus quando estão buscando solucionar problemas e superar lutas e desafios.

Essas pessoas oferecem este amor egoísta, porque estão passando por situações ruins, e assim se aproximam de Deus porque sabem que Ele tem a solução para essas situações. Elas vão a Igreja apenas com o intuito de conseguir algo.

Eros

Eros é o amor que ama enquanto deseja, logo que o desejo é suprido, ele deixa de existir. Existem na Bíblia exemplos de pessoas que viveram este tipo de amor, buscando ao Senhor só enquanto estavam passando por problemas, abandonando assim que estes problemas eram solucionados.

É o caso de Saul, o primeiro rei de Israel, que sempre buscava a Deus quando estava em apuros, mas voltava a cometer os velhos erros quando o problema já estava solucionado. Até que o Senhor o rejeitou totalmente, levantando Davi como rei em seu lugar.

Em 1 Samuel 16.1, a Palavra de Deus diz: “Então disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel?”. Deus sabia que o amor de Saul era por interesse, um amor que não durava mais do que o necessário.

Muitos escolhem ficar nesse nível de amor, apenas suprindo o próprio desejo, porque assim é mais fácil de viver. Mas todos nós temos duas opções:

  1. a) Decidir permanecer no egoísmo;
  2. b) Decidir progredir para o próximo amor;

Storge

Storge é o amor que é cultivado pela afeição, pelas emoções básicas que regem nossa mente.  Neste tipo de sentimento já começamos a ser conquistados, já começamos a sentir algo diferente se movendo em nós, ainda que não seja algo muito forte, mas já começa a fazer alguma diferença.

Quando nós somos novos convertidos, visitando pela primeira vez a Igreja, nós experimentamos este tipo de amor. Apesar de ter alcançado uma bênção nos primeiros cultos, você não consegue deixar de frequentar a Casa do Senhor, pois algo diferente começa a acontecer. É como se estivesse apaixonado.

Porém, este tipo de amor também não é o ideal, pois ele está firmado apenas em emoções. As pessoas emotivas tendem a se frustrar frequentemente, isso acontece com aqueles que estão indo a Igreja, mas por causa daquilo que sentem quando ouvem a Palavra de Deus ou escutam os louvores.

Quando isso acontece, quando as emoções são o que motivam nossa busca por Deus, qualquer frustração irá nos abalar. Pessoas que estão na Igreja e deixam a Jesus, geralmente tendem a colocar a culpa em algo que aconteceu, em alguma ferida que foi aberta. Neste caso também há duas opções:

  1. a) Decidir ficar na insegurança da emoção;
  2. b) Continuar evoluindo para um relacionamento mais profundo;

Filéo

Quem decide continuar evoluindo, chega a um nível de amor mais maduro, que é o filéo. Esse momento é realmente fantástico, porque o amor já não é apenas desejo, e agora é mais corajoso do que apenas afeição, e as emoções já não estão firmadas em sentimentos superficiais.

Essa é a fase de uma iniciativa maior, você sai

da zona de conforto, eu acredito que você vai se lembrar: agora não é mais apenas uma questão de estar no culto, sua amizade com o pastor já aumentou, você decidiu (guiado pelo Espirito Santo) que deve se batizar. Agora seu prazer de estar na igreja é imenso, é algo sem explicação.

Com isso você começa a buscar maneiras de agradar a Deus, você está motivado pelo amor, começa a ofertar na casa de Deus, começa a buscar mais unção, pois seu amor está mais profundo. Você passa a assumir uma responsabilidade, um horário de oração.

Ágape

Ainda é possível subir mais um nível, mergulhar mais profundo no amor de Deus. E esse é o ponto máximo, onde temos coragem para todo tipo de prova de amor. Agora já nos trancamos por dias no quarto, só para ficar com Deus.

Você se torna alguém que intercede pelo pastor, que ora pela Igreja e que evangeliza nas ruas da cidade. Seu nível de amor já mergulhou no mais profundo do rio do Espirito de Deus. Você está experimentando o maior amor, o amor divino.

Como está escrito: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

E você só pode experimentar este amor, porque Ele te amou primeiro. Porque Deus amou você desde o início, você agora entende que precisa amá-Lo também. “Assim, nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” (1 João 4.10).

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS