Os 4 Níveis do Rio de Deus: Entrando em águas profundas

Eu escolho todo dia mergulhar, porque eu não quero ficar apenas na superfície e, mesmo tendo medo de me afogar, sei que Aquele me conduz não deixará isso acontecer.

FONTE: GUIAME, JOEL ENGEL

ATUALIZADO: 3 de Maio de 2018

FacebookTwitterWhatsApp

“E saiu aquele homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir; e mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos.

E mediu mais mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; e outra vez mediu mil, e me fez passar pelas águas que me davam pelos lombos.

E mediu mais mil, e era um rio, que eu não podia atravessar, porque as águas eram profundas, águas que se deviam passar a nado, rio pelo qual não se podia passar”. (Ezequiel 47:3-5).

Esta é uma passagem realmente fascinante, que nos mostra de forma profética como Deus quer nos levar ao plano original. De acordo com a descrição que Deus através de Ezequiel, por esta visão, podemos entender que a vida do servo de Deus é vivida de 4 maneiras diferentes ou como chamamos 4 níveis:

1. TORNOZELO SUPERFICIAL
Imagine uma pessoa que quer molhar somente os pés só para se refrescar, apenas, os sapatos e as meias são removidos, e isso é o suficiente. É como um adulto que entra na piscina infantil, superficial. Há pessoas que vivem a vida a esse nível, superficial, permanecem no nível de “salvação”, ou seja, um dia elas aceitaram a Cristo em seu coração, mas nada mais, recebem o frescor da água, mas nada mais.

2. JOELHOS
Agora o nível de água atinge uma nova dimensão, você pode caminhar, mas não correr. Ele representa o tipo de cristão que está em conformidade para se reunir “religiosamente” toda semana, domingo após domingo da congregação, seu conhecimento também está no nível da salvação, acrescentando que eles ouvem toda semana a pregação, mas não tem uma vida cristã profunda, ele se molhar na água, mas nada mais, não está disposto a ir mais profundo.

3. CINTURA
Pode representar da cintura até a altura dos ombros.

Representa o esforço. 3/4 do corpo estão na água, não se aprofunda por medo, sem saber como será. Sente que algo pode dar errado e se “afogar”.Alguns na piscina ou na praia gostam de nadar neste nível.

4. COMPLETAMENTE SUBMERSO 
Não há mais nada, somente o Senhor, o contato com a terra, a terra seca, circunstâncias ou as coisas que dão segurança estão longe. agora tudo é uma questão de depender do Senhor. É o lugar onde você está cercado por água, onde você tem que colocar em prática o conhecimento e comunhão com Deus. A condição colocada pelo Senhor a nós é a natação.

MARGEM DO RIO
Qual o objetivo de ir para a outra margem?

O outro lado. As regiões além da margem oposta. Deus nos coloca um objetivo para alcançar a margem oposta, esse objetivo só atinge quem nadando Espírito, isto é, caminha em direção ao alvo, removendo medos, aceita desafios e, ao mesmo tempo em que apreciam todos os benefícios que ela nos traz, a vida no Espírito.

Não digo que eu já o tenha obtido, ou que seja já perfeito, mas vou prosseguindo para ver se também poderei alcançar aquilo para o que igualmente fui tomado por Cristo Jesus.

Irmãos, eu não julgo ter ainda alcançado; mas uma coisa faço, esquecendo-me das coisas que ficam para trás e avançando para as que estão adiante, Prossigo em direção ao alvo, para obter o prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus. (Filipenses 3:12-14).

RIOS
O rio representa a vida no Espírito.

“Quem crê em mim, como disse a Escritura, do seu interior manarão rios de água viva. Disse isto a respeito do Espírito que iam receber os que nele criam; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado”. (João 7:38,39).

ÁGUA
As águas vivas estão fluindo.

“mas quem beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede; pelo contrário a água que eu lhe der, virá a ser nele uma fonte de água que mana para a vida eterna”. (João 4:14).

Hoje, temos de tomar decisões. Na vida com Deus a partir de Cristo, temos pelo menos 4 níveis para trilhar no caminho de volta ao projeto original, vejamos:

1. Nível do natural
Em Genesis 1.29 vemos que Deus colocou tudo a disposição do homem, para que ele fosse mantido pleno sobre a terra, nada lhe faria falta. Seja mantimento, seja metal precioso, pedras preciosas, nada lhe seria negado, a terra tinha a obrigação de lhe dar.

Quando entramos no caminho e aceitamos Jesus como nosso salvador, passamos então a viver o nível natural, que e o nível onde a criação divina nos mantém, por exemplo, Pedro quando tirou uma moeda da boca de um peixe:

“Mas, para não escandalizá-los, vá ao mar e jogue o anzol. Tire o primeiro peixe que você pegar, abra-lhe a boca, e você encontrará uma moeda de quatro dracmas. Pegue-a e entregue-a a eles, para pagar o meu imposto e o seu”. (Mateus 17:27).

Primeiro Nível: O primeiro nível podemos ver no versículo 3 onde Ezequiel fala que aquele homem levou ele para um ribeiro e neste ribeiro o homem mediu meio quilometro a sua frente e fez ele caminhar e quando ele chegou as águas batia nos seus Tornozelos e é aqui que encontramos o nosso primeiro nível.

O pé é uma das partes do corpo mais sensíveis que temos, por isso Deus certa vez falou “retire as sandálias dos seus pés”, porque não podemos ser sensíveis à voz de Deus se estivermos com algo que esteja tampando a nossa sensibilidade, então eu percebo que naquele momento que aquele homem levou Ezequiel até aquele trecho do rio onde as águas batiam em seus tornozelos, a primeira lição que aprendo é que primeiro precisamos lavar os nosso pés, que muitas das vezes pisaram em lugares errados, se encheram de poeira e da lama do pecado.

2. Nível da fé
Viver o nível da fé é de fato aceitar e não titubear sobre o caráter divino, entendendo pela palavra nossos direitos. O nível da fé nos permite entrar em oração nos colocando ante a corte celestial e usarmos a palavra como nosso livro de leis, da constituição do reino e reivindicar nossos direitos e vivendo os deveres, vejamos:

“Tendo terminado de dizer tudo isso ao povo, Jesus entrou em Cafarnaum. Ali estava doente, quase à morte, o servo de um centurião, a quem seu senhor estimava muito.

Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo.

Chegando-se a Jesus, suplicaram-lhe com insistência: ‘Este homem merece que lhe faças isso, porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga’.

Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: ‘Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto. Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado. Pois eu também sou homem sujeito a autoridade, e com soldados sob o meu comando. Digo a um: ‘Vá’, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem. Digo a meu servo: Faça isto, e ele faz’.

Ao ouvir isso, Jesus admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: ‘Eu lhes digo que nem em Israel encontrei tamanha fé’.

Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido”. (Lucas 7:1-10).

Segundo Nível: O segundo nível de intimidade com Deus, podemos ver no versículo 4 onde aquele homem que estava conduzindo Ezequiel, o leva a mais meio quilômetro a frente, e ao chegar lá, Ezequiel percebe que as águas não davam mais nos seus tornozelos mas sim, agora davam nos seu joelhos. E aqui está a segunda lição que aprendo. O joelho é parte do nosso corpo que encontramos sustento se eles fraquejarem nosso corpo inteiro vem ao chão.

3. Nível da unção
Nesse nível Deus e você passam a operar de forma conjunta, você passa a ousar, onde enfermidades são curadas, demônios expulsos, etc. É Deus trabalhando através de você. Vejamos:

“Quem tocou em mim?”, perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”.

Mas Jesus disse: “Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder”. (Lucas 8:45,46).

Terceiro Nível: E agora o terceiro nível de intimidade com Deus que encontramos também no versículo 4 porém parte “b”, vemos quando Ezequiel fala que aquele homem não parou por ali mas o levou a meio quilometro a mais e dessa vez as águas não davam mais nos joelhos, mas sim em sua cintura. E aqui eu vejo uma deixa que depois nos levará para o 4º nível, quem chegou aqui esta muito perto de mudar de nível.

4. Nível da glória
Nesse momento você esta no nível mais elevado, visto que a gloria é o próprio Deus. Ao contrario do que pensamos gloria não é poder, nem unção, mas é o próprio ser de Deus, a própria pessoa divina. Andar nesse nível é andar “cheio”, “repleto” da presença de Deus numa entrega completa e sem reservas. Operar nesse nível significa de fato, dar um passo para traz e deixar o próprio Deus fazer, nesse momento já não precisamos liberar palavras para que algo aconteça, já não há preocupação, não precisa “suar”, nem fazer força mas você entra no nível de repouso enquanto a própria presença Deus, o próprio Deus opera livremente.

Quarto Nível: E agora finalmente o quarto nível podemos ver nos últimos versículos em especial o 5º onde Ezequiel relata que aquele homem avançou com ele mais meio quilometro, mas agora ele não conseguia mais passar andando ele teve que mergulhar, porque as águas o cobria. E agora eu digo que aquele homem era Jesus. E ele quer conduzir você e a mim em todos esses níveis, só que ele não nos põe a força, uma coisa que Ezequiel fez foi que em nenhum momento ele contrariou aquele homem. Todo o tempo mesmo sem saber o que o esperava a frente ele confiou naquele homem para prosseguir.

O passo de obedecer, de chegar até o momento mais decisivo da sua vida aonde as águas chega à cintura, e ali você decide se quer mergulhar ou parar por ali mesmo.

Eu escolho todo dia mergulhar, porque eu não quero ficar apenas no terceiro nível, eu sei que às vezes você pode ter medo de se afogar, mas saiba que o homem que está conduzindo não deixará isso acontecer. Assim como Ezequiel que mergulhou naquele rio, quando foi à margem contemplou arvores que davam frutos lindos, porque havia vida naquele lugar. O fato de mergulhar nesse rio com Deus não é nada além do que isso, viver não para mim mesmo, mas para o meu Deus, é isso que nos espera na margem do rio, VIDA, só precisamos mergulhar nEle, fazer a nossa escolha. Porque assim como Paulo diz em Gálatas 2:20 “Fiz a minha escolha… Não vivo mais eu, mas cristo vive em mim”

O profeta Ezequiel é levado aos quatro níveis, representado pela profundidade das águas à medida que ia andando e adentrando aquele Rio de Deus, até chegar ao ponto de não mais poder andar. Para chegar ao nível mais profundo, Ezequiel mostra-nos que é preciso, coragem, fé, comprometimento, abnegação, dependência, obediência.

Deus nos revela
Longe de ser um passo de mágica, mas fruto de uma intimidade com Deus, que nasceu da oração, para ir em “busca” da intimidade com Deus, no seu maior nível!

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS