A ideologia do Partido dos Trabalhadores é contrária ao cristianismo

O partido tem levantado sua bandeira contra as igrejas, buscando até punir pastores que se colocarem contra ele.

FONTE: GUIAME, JOEL ENGEL

ATUALIZADO: 22 de outubro de 2018

FacebookTwitterWhatsApp


Fernando Haddad é autor do livro “Em Defesa do Socialismo”. (Imagem: Edição – Guiame)

Segundo informação divulgada pelo jornal “O Estado de São Paulo”, o Partido dos Trabalhadores (PT) está pedindo punição para os pastores que fizerem discursos “pró-Bolsonaro” em suas igrejas. O partido pede “maior rigor” ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra os líderes que se posicionarem em favor do candidato do PSL.

Não me espanto em ver este tipo de posicionamento do PT, pois ainda lembro o que disse o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho (PT), quando em 2012 esteve em Porto Alegre e prometeu uma “disputa ideológica” com os evangélicos.

Naquela época poucos haviam percebido o perigo que representava o PT para os evangélicos. A verdade é que ainda havia muitos líderes dispostos a colocar suas igrejas ao lado do “Partido das Trevas”, mas ignoravam que suas ideologias são totalmente contrárias ao cristianismo.

Reinaldo Azevedo, que era colunista da revista Veja, denunciou a intenção da liderança do PT em “começar a criar as condições para limitar ou anular a influência das igrejas evangélicas especialmente nas questões relativas a costumes”. Eles temiam que as igrejas influenciassem em questões como descriminalização do aborto, legalização das drogas, implantação do “kit gay” nas escolas, entre outros.

O “kit gay”, aliás, foi obra de Fernando Haddad, que era Ministro da Educação. Um material que seria distribuído para crianças do Ensino Fundamental, que tinha conteúdo para a erotização infantil. Um material ilegal, inconstitucional e abusivo, que seria distribuído com o aval do ex-ministro.

Fernando Haddad (PT) disputa agora a Presidência da República, justamente contra Jair Bolsonaro (PSL), que foi o responsável pela denúncia do “kit gay”, o que permitiu à Igreja se posicionar e juntamente com conservadores barrar a distribuição do famigerado material.

Pois bem! Eu não estranho essa oposição do PT em relação às igrejas evangélicas do Brasil, pois há anos venho denunciando suas ideologias contrárias ao cristianismo. A alta cúpula deste partido é fiel seguidora do marxismo cultural. Busca implantar o socialismo no país, e tenta ferozmente fazer da nossa terra uma nação comunista.

E, como já escrevi aqui mesmo em outra oportunidade, cristianismo e socialismo são tão antagônicos quanto pecado e santidade – e não há como concluir o contrário. É por isso que o comunismo odeia a fé e ameaça tudo que se apresente como divino.

Isso pode ser visto claramente nas abordagens que o comunismo tem sobre a religião e a moral. No Manifesto Comunista, por exemplo, encontra-se claramente a negação da crença e o incentivo à perversão da moral, o que por si só demonstra total oposição ao cristianismo e seus valores.

É possível ler o seguinte no tratado escrito por Karl Marx e Friedrich Engels: “Mas o comunismo quer abolir estas verdades eternas, quer abolir a religião e a, moral, em lugar de lhes dar uma nova forma e isso contradiz todo o desenvolvimento histórico anterior” (Das Kommunistische Manifest – Karl Marx e Friedrich Engels).

Lênin, responsável pela implantação do comunismo na Rússia, disse claramente que “a guerra contra quaisquer cristão é […] lei inabalável”. Portanto, não resta dúvida de que existe o interesse dos sociais-comunistas em erradicar a crença cristã onde quer que seja possível implantar seu regime ditatorial.

Por isso, não há qualquer possibilidade de um cristão genuíno votar no Partido dos Trabalhadores. Esse partido tem declarado diariamente guerra contra todos os nossos valores, defendendo em seu plano de governo práticas condenáveis.

Em 2010, a então candidata Dilma Rousseff (PT), em reunião com pastores, fez promessas genéricas e “também se comprometeu a não propor algum tipo de iniciativa que ‘afronte a família’, sem especificar exatamente quais medidas poderiam estar englobadas nessa promessa – tal como a legalização da união civil de homossexuais”.

Porém, passado o pleito eleitoral e tendo sido eleita presidente do país, Dilma traiu seu eleitorado evangélico, fazendo o oposto do que havia prometido. Seu partido iniciou uma investida feroz contra os valores morais e bons costumes.

O PT tem defendido abertamente o aborto, o casamento gay, a liberação das drogas, a Ideologia de Gênero, o controle estatal sobre a mídia, a laicização do Estado, entre tantos outros temas sensíveis para o cristianismo.

Agora, eles também querem silenciar a voz dos pastores pelo fato de estarem alertando os fiéis quanto a seu plano de poder e seu comportamento contrário ao que a Palavra de Deus ensina. Mas não podemos nos intimidar com isso!

A cúpula do PT usa como argumento a matéria veiculada pelo jornal cristão “Mensageiro da Paz”, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, a maior denominação do país, que apresentou uma tabela comparando o que pensa cada presidenciável sobre temas sensíveis para a Igreja.

Nesta tabela o candidato do Partido Social Liberal é o único que se posiciona contra o aborto, casamento gay, liberação das drogas, ideologia de gênero e a favor de Israel. Como a edição do Mensageiro da Paz saiu no início de setembro, o nome de Fernando Haddad não aparece, pois ele ainda não havia sido oficializado como candidato do PT.

Mas a verdade é que eles já perceberam que os pastores vão mudar o resultado das eleições em favor do candidato do PSL, colocando fim a hegemonia política deste partido. Por isso, eles estão desesperados, dispostos a tudo para calar a voz dos líderes cristãos.

Eu pergunto: E os que estão a favor do Haddad, eles vão querer punir? E as escolas, professores, universidades que falam a favor do PT? Sim, pois é de conhecimento geral que a influência que eles exercem nas universidades e as propagandas que já fizeram de si em livros didáticos escolares.

O próprio Fernando Haddad, em 2008, distribuiu através do Ministério da Educação, livros ao Ensino Fundamental em que reproduzia texto do Instituto de Cidadania do PT, elaborado em 2001, sobre o programa Fome Zero, lançado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Naquela época Haddad disse que não considerava o livro uma propaganda. Naquele ano ele foi questionado pelo fato de o Programa Nacional do Livro Didático 2008 prever a exclusão de obras que faziam referência à propaganda político-partidária, mas obras que faziam referência ao PT estavam sendo distribuídas.

Recentemente, o Partido dos Trabalhadores foi acusado de fazer propaganda ideológica nas universidades através da União Nacional dos Estudantes (UNE). A ligação de lideranças da organização com a cúpula do PT nunca foi encoberta.

Concluo afirmando que nossa bandeira é a verdade, por isso precisamos nos unir em todo o país, pois se nos calarmos agora, depois poderá ser tarde demais. Conforme está escrito na Palavra de Deus: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32).

Por Joel Engel, pastor, líder do Ministério Engel, em Santa Maria (RS) e fundador do Projeto Daniel, que ajuda crianças órfãs em países da África.

FacebookTwitterWhatsApp

COMENTÁRIOS