• Facebook
  • Twitter
  • Rss
  • Plus
Ministério Engel

Em artigo, psicóloga cristã fala sobre os perigos da manipulação da mídia

Out 25
Avalie este item
(0 votos)

A palavra manipulação está associada a controlar direta ou indiretamente um objeto, animal ou pessoa, para atuar de uma determinada forma, de acordo com os desejos do agente manipulador; manipular é o ato de o sujeito fazer com que o outro faça algo sem raciocinar, sem senso crítico, dessa forma o manipulador pode conseguir que o manipulado faça coisas sem nem perceber que está sendo manipulado. Está  intimamente ligada à sugestão psicológica.

 

A influência social é o ato de levar uma pessoa (ou um grupo de pessoas) a fazer algo que, a princípio, desconhecia e/ou não tinha em mente. Dependendo do nível cultural, emocional, interesses sociais, por exemplo, do manipulado, o manipulador pode incutir ideias e comportamentos na cabeça de pessoas sim, mentiras, crenças não verdadeiras, etc. Sua importância para definir nosso comportamento está estimada entre 30 e 90%, dependendo da definição utilizada.  Definindo, na maioria das vezes subconscientemente, por exemplo, que roupa vamos utilizar, quais comportamentos são adequados em determinado ambiente, o que devemos e não devemos fazer durante uma fase de desenvolvimento e, direta e indiretamente, influenciando as leis de uma nação, até mesmo as quedas da bolsa de valores.

A mídia tem um poder de manipulação que chega a assustar, por estar ligada a status, a gosto pessoal, à necessidade de consumo, aos desejos que temos e não conseguimos muitas vezes realizar. Através da mídia realizamos sonhos indiretamente, e nos influenciamos em todos os sentidos. Temos que cuidar muito com a mídia em si, pois ela sugere coisas, situações através de todos os nossos sentidos, e o principal deles é a visão. Imagens que vemos mexem com nossos sentidos e emoções e podem, sim, nos induzir a comprar, enfim a desejar ser e ter o que não podemos e não possuímos.

 A manipulação da mídia muitas vezes pode mudar nosso comportamento, nos oferecer estímulos negativos e ou positivos. Muitos deles podem nos influenciar negativamente, mudando vários de nossos valores; os modismos incutidos em nossas cabeças pela mídia podem ser um mal em toda nossa vida pessoal, familiar e social. Entretanto, a mídia pode também nos influenciar de forma positiva. Campanhas têm sido feitas em todos os meios de comunicação contra as drogas, a violência, por exemplo, mas na maioria das vezes nos induz a ter, ser e fazer o que não somos e não podemos ser. Temos que tomar muito cuidado com esse poder.

Quero trazer à consciência de todos os leitores que somos manipulados sim, o tempo todo, de alguma forma, nossa mente pode ser manipulada por uma situação, por pessoas que exercem de certa liderança e influência em nossas vidas, e que bom que podemos ser influenciados, pois se a influência for boa, digna, justa, nos ajudará a viver melhor, a encontrar nossa tão sonhada felicidade. Muitas influências podem ser boas, sim, isso é um fato.

Em nosso caso, a respeito dos manipuladores da fé e do evangelho, a preocupação é ainda muito maior, e temos que estar atentos porque a religião está  Intimamente ligada à necessidade emocional, a dificuldades de lidarmos com dores sentimentais, às frustrações, tristezas; ligada a crenças que temos, e, dependendo da situação emocional em que nos encontrarmos, podemos nos envolver com seitas e heresias e, através da sugestão e de fenômenos psicológicos, podem esses conceitos errôneos ser incutidos em nossas mentes, criando raízes difíceis de serem removidas.

Somos, na realidade, produto da nossa história emocional psicológica e espiritual de sempre. Infelizmente não podemos mais nos iludir e acreditar que só porque se dizem cristãos, seguem o exemplo de Cristo, “possuem bom caráter” acima de qualquer suspeita. Seria o certo, mas, não é o que tem acontecido, e para não piorar a situação, temos que abrir nossos olhos e nos darmos conta da existência de manipuladores da fé humana – os sofistas – que vivem assentados em pretensos e arrogantes conhecimentos religiosos para ditarem o que é certo ou errado, muitas vezes, diante de uma massa “ignorante”, (no sentido de falta de  conhecimento bíblico) que só os busca para consolação e

apoio espiritual.

Deus, em Sua infinita grandeza e inteligência, nos ensina, nos dá ordens expressas para tomarmos cuidados com esse tipo de gente, hipócritas, falsos profetas, anticristo, e nos ensina a corrermos atrás de conhecimento, quando diz que o povo sofre por falta de conhecimento: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oseias 4.6). A sede por saber do ser humano, de um modo geral, ainda não o lança às suas buscas próprias e sim àqueles indivíduos que, em marketing pessoal, ditado pela vaidade, se autointitulam condutores legítimos deste ou daquele saber, ou melhor, do poder de Deus.

Muitas vezes não procuramos conhecer a Palavra de Deus e sim a conhecemos apenas pela informação de terceiros, não sabemos o que Deus, na verdade, diz, nos ensina, e sim o que terceiros dizem que Deus diz. Por isso que frequentemente somos manipulados, porque não buscamos avaliar o que é realmente a vontade de Deus através de Sua Palavra, a Bíblia Sagrada.

Como psicóloga e mulher de Deus, minha preocupação é o conhecimento que tenho do comportamento humano, sei da facilidade com que temos sido controlados por situações e pessoas que usam a Bíblia como forma de manipulação das massas, e isso é assustador. Nosso desejo de servir a Deus, de sair de nossa antiga vida que nos machucou, nos fez sofrer,  para uma outra vida, com um Deus maravilhoso que nos resgatou e nos faz viver com amor e abundância, nos torna, sim, presas fáceis para esses manipuladores, que chamo de “Psicopatas da Fé”.

Líder religioso tem um grande poder nas mãos, a Palavra de Deus, que pode sim ser uma perigosa arma de domínio se não for ministrada, usada por um homem íntegro, de princípios definidos totalmente cristãos, e conhecedor da Palavra de Deus, desprovido infinitamente de ego. Caso contrário, ele manipulará a Palavra de Deus, e colocará um jugo sobre nossos ombros que ficará muito difícil de carregar. Por isso muitos desistem, por acharem que não são merecedores da Graça de Deus, por não conseguirem um milagre, ou cumprir um voto, ou por não conseguirem prosperar financeiramente; se a bênção não chega é porque estamos em pecado.

Isso é uma manipulação negativa, que se torna uma autossugestão negativa, causando inclusive problemas psicológicos como depressão, por exemplo, induzindo a pessoas até ao suicídio. Muitos religiosos desconhecem, ou melhor, não se dão conta, e alguns até não se importam, com o quanto têm destruído a esperança de muitas pessoas com essa maneira mirabolante  como pregam o evangelho, adicionando modismos que não são bíblicos, apenas manipulação de textos e versículos.

Nós, profissionais da área médica e principalmente da psicológica, temos recebido em nossos consultórios pessoas machucadas, frustradas, com baixa autoestima, depressão, em decorrência da irresponsabilidade de profissionais da fé, manipuladores, que mais querem promoção pessoal, realização de seus desejos narcisistas do que ensinar a Palavra de Deus, discipular com  amor suas ovelhas, como a Bíblia os ensina.

“Psicopatas da Fé” são mestres da retórica, ensinando aos homens ávidos de liberação e poder a maneira de conseguilos. São os semeadores de ilusão, ainda que os seus discursos estejam cheios em uma grande e aparente lógica, podem não passar de versículos bíblicos usados de forma apenas motivacionais induzindo a sugestão psicológica, com intuito de conquistar o que desejam: fama, glória terrena, dinheiro, a busca da vantagem pessoal.

O objetivo dos manipuladores da fé não está na ação ética  e ascética, no domínio de si mesmo, na justiça para com os outros, mas no engrandecimento ilimitado da própria personalidade, no prazer e no domínio violento dos homens, inclusive da sua própria consciência”, e isso é assustador.

Devemos estar sempre atentos para com os que se julgam sempre sabedores de tudo, onde a sua “missão” é a proteção destes ou daqueles valores, de saber ou de moral, pois aí, sem dúvida alguma, estará um tirano do comportamento alheio, do livre-arbítrio, do pensar humano. Esses normalmente nos induzem a sentimentos que vemos nas lutas extremistas, por exemplo, por posições, ideias caprichos e vaidades, onde prevalecerá o vale-tudo para a manutenção da “verdade” desses doentes da alma.

Caso você queira saber se o seu líder religioso é, de fato, um homem de bem ou um oportunista, ou um psicopata da  fé, consulte 1 Coríntios 13 – um capítulo da Bíblia Sagrada que fala sobre o amor verdadeiro – e é assim que seu líder deve ser, pensar e agir, com base nesse texto; se a vida dele se baseia nesses princípios do verdadeiro amor, descritos nesse capítulo, então pode sem medo se deixar influenciar por ele,

pois é uma boa influência Mas, fique atento, o seu falar tem que ser coerente com seuandar.

 

Quero dizer que o que ele fala tem que ser vivido na prática. Isso é ética cristã, cumprimento da Palavra. Se digo que tudo o que faço é por amor, o meu comportamento, a minha vida tem que ter essa comprovação, esses frutos. “Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?” (Mateus 7.16).

Publicado em Marisa Lobo
Última modificação em Quinta, 07 Novembro 2013 19:22

Agenda de Eventos

Novembro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30